POETAS DO BRASIL

Blog para divulgar poetas brasileiros e estrangeiros que têm participado das atividades do Congresso Brasileiro de Poesia, realizado anualmente na cidade de Bento Gonçalves/RS, sempre na primeira semana de outubro

quinta-feira, abril 08, 2010

CIDA MICOSSI (Aparecida de Lourdes Micossi Perez). — Natural de São Paulo, cresci em Descalvado/SP e moro em Santos/SP. Casada e mãe de dois filhos, desde criança me dediquei à leitura e me encantei com a poesia. Na adolescência arrisquei alguns poemas, mas foi somente na maturidade que me propus a escrever textos simples, sem maiores pretensões, a não ser expressar as minhas sensações. Também desenvolvi o gosto pela fotografia e, sem conhecimento técnico, saí com minha máquina a clicar situações que mexem com minhas emoções. Juntei textos e fotos e estou gostando da “brincadeira”.
Professora de Português e Inglês, pós-graduada em Direito Educacional. Participação com fotografias e poemas na Mostra dos Funcionários da Prefeitura Municipal de Cubatão - outubro/2007. Coordenação e aplicação de Oficina de Poesia culminando com a publicação do livro de poemas produzidos pelos alunos da escola onde trabalho: 2008
Premiação – 3ª colocação no Concurso de Poesia do Grêmio Literário Castro Alves de Porto alegre/RS em abril 2009 com o poema “Sensações de Minas”. Participação em Cirandas Poéticas na internet. Participação em entidades culturais:
Confreira Fundadora, Presidente Seccional Santos/SP e Presidente Regional CAPPAZ (Confraria de Poetas e Artistas pela Paz) no estado de São Paulo. Membro da Casa do Poeta Brasileiro de Praia Grande – SP.
Publicações: 1º Calendário Poético – 2009, 2º Calendário Poético – julho/2009 a junho/2010. Participação na Antologia da Casa do Poeta em junho/2009. Livro no prelo: Realidade, sonhos e delírios.
Coordenadora e aplicadora - oficina de poesia no XVI Congresso Brasileiro de Poesia em Bento Gonçalves/RS para alunos das escolas públicas em outubro 2008.

EMOÇÕES

© CIDA MICOSSI

Onde jogo esta emoção
Que me explode aqui no peito?
Emoção que não tem jeito,
Cúmplice da solidão

Sigo assim, sempre sozinha
À espera d’alma minha
Gêmea, que se fará presente
Tornando-me dependente

De um amor lindo e maduro
Que espero viver um dia
Enfim, entregar-me ao jogo
Da sedução e alegria

Juntar nossos corações
Em compasso sincronizado
E assim, com o meu amado
Vivenciar essa paixão


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial